CardioID

 

CardioID

O coração nas palmas das mãos

 

A CardioID desenvolveu uma tecnologia que permite adquirir o electrocardiograma (ECG) através das mãos ou dedos, sem alterar o padrão de interação do utilizador com os objetos, que possibilita a obtenção contínua da identidade do utilizador e, simultaneamente, monitorizar o seu comportamento e estado geral de saúde.

O reconhecimento público que a empresa teve, em 2013, como 1º Classificado do Concurso InovPortugal, com o projeto VitalID, gerou uma visibilidade a qual os fundadores da CardioID souberam aproveitar.

“Em 2013 éramos meramente uma ideia de projeto, um ano depois criamos a empresa e em 2015 entramos na derradeira fase de crescimento”, esclarece André Lourenço, um dos fundadores da empresa. A tecnologia resultou em uma patente internacional, os primeiros demonstradores já fazem parte de um protótipo do “carro do futuro”, nas instalações do Centro para a Excelência e Inovação na Indústria Automóvel (CEIIA) e as conversas com o setor automóvel continuam. Um grande grupo nacional, de transportes rodoviários, já se encontra a testar o produto.

Por fim, a empresa foi selecionada pelo Programa Fiware, da Comunidade Europeia, e integra o consórcio SoulFI (Startup Optimizing Urban Life with Future Internet).

A CardioID tem a sua sede na Maia, junto do seu parceiro CEIIA, onde operacionaliza o seu Centro de Investigação Aplicada mas o centro de decisão está localizada no LABS Lisboa. “Para nós é relevante a proximidade com os centros de investigação das universidades, tendo aqui um papel decisivo a Universidade de Lisboa”, esclarece o responsável pela área de estratégia e desenvolvimento de negócios, Roberto De Souza.

“Foi no Instituto de Telecomunicação, no Instituto Superior Técnico, recorde-se, tudo começou: o projeto de doutoramento do meu colega André Lourenço e da sua equipa deu o mote para a constituição da empresa.”, acrescenta.